Postagens para o marcador ‘Eletrônica’

   sábado, 10 de dezembro de 2016

Indo ao “shopping center” – 15



PéssimoRuimMédioBomExcelente (8 votos, média: 4,88 de 5)

Já faz tempo que não faço postagens das visitas ao ferros-velhos. Vamos tirar um pouco o pó então. eheh. Tem algumas coisas para serem postadas, mas o fato é que com essa piora na economia, o consumo das pessoas diminui, logo a sucata nos ferros-velhos também diminuiu bastante, a ponto do dono reclamar.

Então apesar das visitas semanais ou quinzenais, não tem aparecido assim nada interessante, e na maioria das vezes volto de mãos abanando.

Bom, essa semana resolvi dar um passeio no biohazzard e achei umas poucas coisas interessantes.

camera_e_placa_sucata

Achei esta placa que peguei para tirar os TTL e esta câmera de segurança. A placa já desmontei e guardei os CI’s.

A câmera de segurança tinha dois probleminhas que foram de fácil solução. A besta que deve ter feito alguma manutenção/alteração forçou o giro dela sem soltar o parafuso de fixação. Resultado? quebrou o suporte. Além disso trincaram o vidro de proteção. O vidro eu acho que quebrou lá na reciclagem mesmo, mas por sorte não saiu nenhum pedaço.

camera_sucata

O suporte resolvi enrolando um pedaço de arame de aço inox (usado em cerca elétrica) bem apertado e preenchendo o trinco com cola. A lente como não faltou nenhum pedaço do vidro, apliquei cuidadosamente pelo lado interno um pouco de cola com uma agulha, para preencher o sulco. Como ficou por dentro e é somente o vidro do canhão IR, não vai representar problema algum. O vidro da lente está perfeito.

Fora esses dois quebrados, ela está funcionando perfeitamente.

Além disso peguei também este leitor de cartões:

leitor_de_cartoes_1

Este leitor já está em uso em um PC, que vai ser o causo do próximo post que devo fazer no final de semana ou na semana que vem. :tooth:



   segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Motorola Razr XT910 XT912 GPS Antena



PéssimoRuimMédioBomExcelente (5 votos, média: 5,00 de 5)

Em Junho de 2014, ganhei de presente do amigo João Roscoe, um celular Motorola Razr XT910. Nesta época eu só tinha o velho Hero H2000G e um pé-de-boi da Nokia (o velho 3220, o disco voador).

Só tinha um quebradinho num canto do vidro e mais nada. Sei que usei ele um bom tempo e acabei quebrando a tela inteira. Nisso como eu já queria fazer um upgrade da bateria dele, acabei comprando todas as peças na China (AliExpress), que chegaram em cerca de 40 dias e sem tributação.

Este upgrade de bateria consiste em trocar a bateria pela do modelo XT912, que tem o dobro da capacidade, e o celular fica um pouco mais grosso e perde aquele rebaixo que tem na traseira. Não me importo que fique mais grosso, alias, eu peguei  birra desses celulares feitos pra “cortar bife”.

O upgrade de bateria consistiu na troca da EB20 pela EB40 (usada no XT912), o frame de suporte da bateria, a carcaça traseira e a tampa. No meu caso troquei também o display que havia quebrado, na verdade acabei aproveitando só mesmo a placa do celular. Mas pra mim valeu a pena. Pois estou com este celular até hoje e a durabilidade da nova bateria é excepcional, mesmo fazendo uso intenso.

Porém a uns 4 meses atrás o sinal de GPS dele simplesmente despencou, a ponto de dificilmente conseguir travar os satélites e fixar a posição.

Sei que revirei a internet atrás de informação de onde ficava a antena de GPS dele e não encontrei (ou não soube perguntar pro Google). Hoje durante a tarde resolvi desmontar o XT912 e localizar a antena e descobrir porque o sinal ficou baixo.

Como já estava com e celular todo desmontado, resolvi levantar a conexão das outras antenas, a qual reproduzo abaixo:

motorola_razr_xt912_antenna_connections

motorola_razr_xt912_antenna_locations

O meu problema não era mal contato, tentei limpar os contados, dei um pouco mais de pressão no terminal, mas mesmo assim o sinal insistia em ficar muito baixo (menos de nível 20 no GPS Tester).

Então resolvi fazer um teste encostando uma ferramenta metálica nos conectores de antena até encontrar qual era do GPS, e ao acertar qual não foi a surpresa em que o sinal entrou forte e travou os satélites em menos de 5 segundos.

motorola_razr_xt912_gps_antenna1

motorola_razr_xt912_gps_antenna2

O defeito é a antena de GPS quebrada, danificada. Não consegui desmontar para verificar o problema, pois ela é injetada dentro da carcaça traseira. A solução foi colocar um pequeno pedaço de wire-wrap para fazer a vez da antena de GPS.

Utilizei um pedaço de wire-wrap de 35mm soldado direto no conector original. Qualquer fio muito fino pode servir, até mesmo um fino fio esmaltado.

motorola_razr_xt912_gps_antenna3

Colocar o fio neste local da foto acima não ficou bom pela proximidade com a placa, o sinal ficou muito ruim depois de fechado. A melhor solução foi passar o fio pela lateral entre a carcaça e a bateria e acomodá-lo neste local, onde vai ficar prensado entre a carcaça e a tampa traseira.

motorola_razr_xt912_gps_antenna4

O resultado foi este, sinal até melhor do que com a antena original (quando ela funcionava ou mesmo quando era a carcaça do XT910):

motorola_razr_xt912_gps_signal

Antes o sinal dificilmente passara de 30~35, agora dependendo do satélite bate até 49! E a trava dos satélites e fixação da posição ficou muito, mas muito mais rápida por causa do sinal melhor.



   sábado, 2 de abril de 2016

Indo ao “shopping center” – 13



PéssimoRuimMédioBomExcelente (10 votos, média: 4,90 de 5)

A alguns anos atrás, cai na besteira de comprar um bebedouro de galão de 20 litros eletrônico, os que usam pastilha peltier pra refrigerar. O porque cair na besteira? Porque aquilo consome uma energia lascada pelo tanto que “refrigera”.

Na verdade aquilo (pelo menos o meu, uma tranqueira da Master Frio) só refresca a água, principalmente em dias quentes, quando mais se quer água gelada. Porque só refresca? Pastilha peltier na verdade faz troca de calor, ou seja transfere o calor de um lado pro outro. E isso é amarrado a temperatura ambiente. Se estiver quente, a troca de calor será menos eficiente, e neste caso, você tem a água em uma temperatura maior. Quando está muito calor (chegou a fazer 37ºC no verão aqui), eu tinha agua somente fresca, e não gelada… :aiaiai:

No inicio do ano, passeando pelo sucateiro topei com um bebedouro de aço inox, com a base quebrada, mas era um bebedouro a compressor. Igual a uma geladeira. Negociei o bebedouro com o dono do ferro-velho… saiu pela bagatela de R$25,00 que é o preço que eles vendem só o compressor. Arrastei a encrenca pra cá, dei um banho de cloro pra desinfetar, banho de mangueira, bucha e sabão pra limpar tudo, comprei a base que estava quebrada, duas torneiras novas, 50cm de mangueira de silicone para água e o funil separador. Gasto em peças: R$82,00

Ah… foi preciso um cabo de força novo, que foi “doação” de uma tv velha lá do biohazzard. :sarcastic:

Mas teve um detalhe que foi o que demorou pra por esse bebedouro pra funcionar… conseguir as peças! Cheguei a telefonar para umas três ou quatro autorizadas da marca que tem aqui na região… aconteceram duas coisas. Ou não trabalha mais com a marca (não é mais autorizado) ou reclama que não tem peças em estoque porque o fabricante é ruim de vender peças de reposição em pequena quantidade. Minha sorte foi que achei uma grande distribuidora de peças de refrigeração em São Paulo que tinha a base deste bebedouro em estoque. =] Foi na Absolutta.

bebedouro_natugel_mini

O resultado está ai em cima… um bebedouro a compressor, de aço inox, perfeito, pela bagatela de R$107,00. Nada mau né? 8-) Modelos similares, de inox no mercado livre, novos, custam entre R$450,00 e 700,00!!! :-o

O bom é que agora tenho água gelada de verdade, trincando de gelada, independente de estar 10ºC ou 40ºC lá fora. :-P

Bom… num outro passeio no sucateiro nesta semana, encontrei estas duas luminárias coloniais.

luminaria_colonia_1

Estão em ótimo estado, somente a preta que precisa ser lixada e receber uma pintura nova. A outra é novinha novinha. Elas serão restauradas para colocar na área lá de casa. Pois desde que fizemos a área da frente da casa no inicio do ano passado, não coloquei iluminação ainda. :tooth: (farei um post sobre a restauração logo logo)

Além das luminárias, encontrei também estas duas foto-células:

foto_celulas_valelux

Uma delas devo usar lá no cafofo pra acender uma pequena iluminação externa a leds que devo instalar. Além delas, as já tradicionais tomadas modelo antigo, que achando das boas, eu trago embora mesmo. :-o*

tomadas_antigas

Essas ai são da Bitcino, são daquelas que tem material fosforescente nas teclas, coisa que não se acha mais hoje em dia.

Além disso, peguei também um punhado de chicotes de fios finos, que são de alarme, som de carro, etc, pra aproveitar os fios cabinhos nas montagens eletrônicas de hobby.

chicotes_sucata

Luminárias, foto-células, tomadas e os chicotes, ficaram tudo em R$20,00 no sucateiro.

Uma coisa que eu e um amigo falamos… se você tiver paciência, olho vivo, e muita perspicácia, você monta uma casa só com coisas descartadas por pessoas que não dão valor as coisas, não sabem consertar ou tem dinheiro de sobra pra gastar e não consertam nada, descartam. Vide o bebedouro do inicio deste post. :coffe:

[ Ouvindo: Marcos Sabino – Reluz ]


   quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Indo ao “shopping center” – 12



PéssimoRuimMédioBomExcelente (7 votos, média: 5,00 de 5)

Mais visitas esparsas aos “shopping centers” 8-)  Dessa vez já separei só o que interessa pra fotografar e olha que saiu bastante coisa interessantes. Vamos lá?

No sucateiro achei várias coisas. Uma delas foi uma caixa metálica que parecia ser um carregador de baterias de iluminação de emergência. Algo com uma cara do tipo, foi feito a mão, mas muito bem feito. No desmanche dele saiu uma bela quantidade de porcas e parafusos de 1/8″ novos:

porcas_parafusos

Porcas e parafusos é algo que não anda custando muito barato por aqui. E como 1/8″ é uma medida que uso muito em montagens eletrônicas, resolvi guardar tudo.

Desse mesmo carregador, saiu: Barra sinal de baquelite, um belo radiador de calor, chave H-H, porta fusível e um SCR BT151.

sindal_radiador_chave_porta-fusivel

No “biohazzard” achei esses dois plug padrão antigo (I hate padrão jabuticaba) e esse pino MIC 4.

pinos

Continuando no “biohzzard” tinha um monte de telefones velhos desmontados, catei esse punhadinho de microfones de eletreto. De um fragmento de uma sucata de vídeo-cassete, tirei esse supercap de 0.047F.

eletretos

Outro dia, andando a pé na rua, curiosamente achei essas duas molas, que são de cerca elétrica. Molas pequenas é algo interessante ter guardado.

molas

Numa outra visita ao sucateiro, tinha uma pilha de placas eletrônicas, placas de PC, etc. Garimpando as placas retirei essas memórias flash DIP, UVProm e veio também esse timer programável e essa flash SPI.

eprom_flash

Ainda dessa pilha de placas, haviam várias placas de PC, que retirei essas flash PLCC:

flash_plcc

E por fim, esse é sucata gerada em casa mesmo… reatores de lâmpadas fluorescente compactas. Deles eu retiro (quando não estão estufados) os eletrolíticos, os transistores, os toróides de ferrite e o diac. Esses ai já estavam rolando por cima da bancada pra desmontar faz um tempinho… vou desmontar e tirar o que aproveita e mandar o resto pra reciclagem.

reatores_pl_sucata

 

 



   quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Indo ao “shopping center” – 11



PéssimoRuimMédioBomExcelente (6 votos, média: 4,83 de 5)

Faz um tempo que eu não falo das idas ao “shopping center” né? Vamos falar um pouquinho. O fato é que não tenho achado nada assim de muuuuito interessante, mas as vezes pintam algumas coisas.

Numa visita que fiz no final de outubro no sucateiro sem querer deparei com algo que eu não via a muito tempo… uma pequena TV de 12″ P&B da telefunken (modelo 12B5100, Chassi CH-806) com seletor de canais a tambor. Claro… os olhos brilharam e comprei. Dei uma olhada nela e tem um defeito na fonte. A TV em si funciona, pois ela também pode ser ligada a bateria, e ligando ela em 12V, funciona. O problema mesmo é na fonte que pega os 127V e rebaixa pra 12V.

telefunken_12B5100_1

telefunken_12B5100_2

Tudo poderia ser mais simples se fosse uma fonte com transformador, mas… complicaram e fizeram uma fonte pra lá de esquisita do tipo rabo quente. O duro que não achei o esquema dela na internet… Preciso dar uma olhada nos meus velhos esquemários da Eltec e ver se por acaso não tem, mas… duvido muito. Mas fica o pedido, se por acaso alguém tiver o esquema dessa TV e poder me fornecer, eu agradeceria. :tooth:

Mas qual é a idéia dessa pequena TV? Bem… usar com um telejogo Philco }:D  que eu ganhei de um cliente a muito tempo atrás. Alias a história dele é bem interessante… qualquer hora eu conto.

Em outras visitas, andei trazendo algumas placas de circuito impresso com componentes interessantes, as abaixo. Ai tem: Uma placa de telefone sem fio intelbras, placa de um aparelho de som philips e duas placas de CATV.

sucatas

Do telefone sem fio de interessante imediato sai 3 diodos varicap, cristal de 10.240MHz e o filtro cerâmico de 455kHz. Aproveita-se também o trimmer, bobinas de FI, relé, chaves, regulador de tensão, etc. Da placa do philips 2 diodos varicap BB112 (que custa caro por sinal), trimers de 3pF, bobinas, filtros ceramicos e o cristal de 7.200MHz que por sinal eu estava quase arrancando os cabelos pra conseguir um pra montar um projeto aqui.

Já das placas de CATV, saem algumas coisas bem interessantes de RF… MMIC, diodos PIN, varicaps, núcleos de ferrite binocular minusculos e aquele módulo amplificador de RF azul da ultima placa.

Sucata é uma coisa bem rica, basta saber o que aproveita-se. 8-)



   sábado, 27 de junho de 2015

Indo ao “shopping center” – 10



PéssimoRuimMédioBomExcelente (9 votos, média: 5,00 de 5)

Faz tempo que eu não ia dar “uns rolês” pelos “shopping centers” :tooth:

Essa semana resolvi fazer um tour pelo Sucateiro e no Biohazzard. Vamos começar pelo Sucateiro.

Olhando numa caixa onde descartam sucatas que será retirado cobre, encontro um chassi pintado de vermelho meio estranho. Quando o puxo de dentro da caixa, me deparo com isto:

vibrador_valvulados

Só os mais “velhinhos” que que vão matar de primeira o que é esse vibrator…

Isso ai era a única forma de se obter um inversor para elevar a tensão DC de uma bateria de 6V em carros para alguma coisa maior. Para que? Alimentar rádios receptores valvulados! Isso era coisa comum mais ou menos entre 1940~1960, depois disso os transistores entraram com tudo. O treco não tinha uma válvula se quer, pelo que entendi do que estava escrito era alguma coisa de algum gerador ou motor diesel.

E esse relé parrudo estava junto. Este relé vai servir para comutar RF em amplificadores de HF. }:D

Uns dias depois resolvi ir no Biohazzard. Lá como sempre por ser uma reciclagem, encontra-se coisas mais interessantes. Revirado uma barrica onde eles descartam placas retiradas de aparelhos eletrônicos, separei essas:

placas_sucatas2

São placas de gravador de DVD, TV’s etc.  Delas aproveitas-se os eletrolíticos SMD, as memórias flash e reguladores de tensão. O resto, volta para reciclagem. :D

Mas passeado por onde descartam as velhas TV’s de tubo, novamente, encontro o que?

monitor_lcd_biohazzard

Sim, outro monitor LCD. :-)) desta vez um LG L1752T em perfeito estado cosmético! o_O

Arrasto pra cá, ligo e nem sinal de vida… muito provavelmente, fonte bichada, depois de pastar pra abrir sem detonar o gabinete (pois não usa um único parafuso pra fechar, tudo encaixe e travas), acho esse “bicho” ligeiramente estufado:

capacitor_bichado_lg_l1752t

Coloco um novo, e pimba! Funcionou. Este não tem um risco se quer na tela, pixels mortos ou acesos, nada. Só estava sem o cabo de vídeo, que usei um que havia pego em outras visitas no Sucateiro. :-P

Vou dar fim no último monitor de tubo que tenho aqui, o que fica no K6 da bancada. Vou ver se um amigo que precisava de um monitor pra colocar em um DVR ainda precisa, se sim e ele quiser eu dou o monitor de tubo pra ele, se não quiser, na próxima visita ao Biohazzard eu levo ele pra lá (com dor no coração, pois está funcionado) e deixo por lá, caso alguém queira ou será desmontado pra ser reciclado. o:-)



   quinta-feira, 2 de abril de 2015

A idéia do… tudo tem um fim.



PéssimoRuimMédioBomExcelente (8 votos, média: 5,00 de 5)

Realmente, tudo tem um fim, e principalmente uma “data de validade” implícita pelos fabricantes (ou pelo mercado). |-/

Vamos a um exemplo que eu catei justamente hoje? Olha essa tralha:

reator_eletronico

Sabe o que é isso? Um reator para lâmpada fluorescente (2 x 40W).

Eu já devo ter externado aqui toda a minha bronca com reatores de partida rápida e mais ainda com essa porcaria eletrônica. :furious:

Ontem, a lâmpada da cozinha de casa, ao ligar não acendeu… achei estranho e bati no interruptor mais umas duas vezes. Deu um belo de um estouro (o eletrolítico) e uma fumaça que empesteou a cozinha. Olha só como a placa está escura ali perto dos diodos, mal dimensionados por sinal, e veja o transformador a esquerda, esquentou tanto que botou as bufas pra fora do carretel.

Sabe qual a idade desse reator? Pouco mais de 2 anos. E nesse prazo ele já detonou um par de fluorescente de 40W em cerca de 14 meses.  8x O segundo par ele não conseguiu detonar, o próprio reator se detonou.

Sabe o que eu fiz? Enfiei a mão no bolso e comprei dois reatores convencionais (magnético, partida a starter) pela “bagatela” de R$50,00 (um roubo na minha opinião), enquanto um lixo eletrônico desse pra duas lâmpadas como esse da foto custa no máximo uns R$20,00 e além do reator foi preciso dois soquetes de starter e dois starter FS-4 (que eu já tinha).

Dai fica a questão: Porque o reator magnético está sumindo do mercado (tanto o partida rápida como o convencional) e só tem esse lixo eletrônico?

Porque o magnético praticamente vende uma vez só, raramente estraga. Eu tenho reator que peguei no ferro-velho que seguramente tem mais de 30 anos e funciona perfeitamente.

A lâmpada num reator com partida convencional dura muito, mas muito tempo. Tenho uma fluorescente que fica sob a bancada na oficina e ela está ligada ali desde 18/01/2006 e nem deu sinal que vai pifar tão cedo. (eu anoto a data da instalação no anel de alumínio da lâmpada). Ou seja, essa lâmpada está funcionando a pouco mais de NOVE anos! O reator seguramente tem uns 20 anos que eu instalei. E é um reator usado, sem marca (a etiqueta era de papel, já era faz tempo), logo tem mais de 20 anos de uso. :good:

lampada_fluorescente

Se fosse um reator eletrônico, tomando por base o acima, eu já teria trocado uns 4 ou 5 reatores e umas 8 lâmpadas. Ou seja, isso é ridículo!

Então conclui-se que: É altamente interessante pra quem fabrica lâmpadas fluorescentes, que se use o reator eletrônico, já que a lâmpada dura menos. Logo, vende-se mais lâmpadas.

E também é interessante para o fabricante de reator, só fabricar o eletrônico, porque ele vende mais reatores já que eles são mal feitos e duram pouco. O dono da loja de material elétrico então ri a toa, já que ele vende os dois.

Dai eu pergunto, daria pra fazer um reator eletrônico bem dimensionado, que não esquenta tanto, que não queima tão facilmente? E que trabalhe com a lâmpada no regime correto, pra não detonar a lâmpada rápido? Dá… claro que dá, mas é interessante? Claro que não.

Portanto, quando eu encontro reator convencional no ferro-velho, eu pego. Dificilmente estão estragados. Porque não botei dois de sucata na cozinha? Porque eu não tinha, os que peguei a tempos atras usei todos no cafofo novo. No ferro-velho pelo menos aqui, acha-se muito reator 220V, e lá em casa eu só uso 127V.

E mais… em breve eu vou experimentar montar um circuito de starter eletrônico. E bem dimensionado, ou seja pra durar. }:D

Ah… ia esquecendo, tive que camelar na cidade pra achar reator convencional. Na loja que achei, o vendedor é velho conhecido. Assim que perguntei se ele tinha reator convencional 1 x 40W 127V, logo depois do “tenho” eu ouvi: “É Luciano, você sabe o que é produto bom”. :coffe:



   sábado, 21 de março de 2015

Indo ao “shopping center” – 9



PéssimoRuimMédioBomExcelente (6 votos, média: 4,83 de 5)

Mais um passeio ao “biohazzard”. Dessa vez o que saiu? Além de umas duas sucatas de rádios AM/FM como de praxe, que já foram desmontadas e retirado o que aproveita-se, curiosamente encontrei 3 punhados de resistores de 1/8W ainda na fita de papel.

 

resistores

São resistores de 10R, 39R e 470K. De quem era, e porque jogou fora, não faço a mínima idéia! As fitas de papel como estavam em muito mal estado, já retirei e joguei fora. Os resistores foram para o  gaveteiro. :tooth:

Mas na mesma andança topei com isso aqui:

Qual o defeito? O conector mini-usb simplesmente destruído, moído!

Pena que não tirei uma foto do conector como estava, mas na abaixo é o conector “novo” já instalado, o “novo” é porque saiu de uma placa de sucata.

Ah… a musica foi uma coincidência “proposital”. eheh. Explico. Na verdade eu não escolhi a música, mas quando fui fazer a foto estava tocando essa, dai esperei a palavra “chave”… A cura! Se não entendeu, eu desenho… a cura do MP3 Player foi um simples conector mini-usb. :-P

mini-usb

Agora parando pra pensar… Olha como são as coisas hoje em dia… estragou? Joga fora e compra outro! Nem pra trocar um mísero conector de prestam os “técnicos” de hoje em dia.

E o que me impressionou. A qualidade do som e o volume disso com esse tamanho minúsculo. Quando eu era moleque, um radinho de duas pilhas com o dobro do tamanho disso ai, tinha um som horrível, o que a gente chamava de “caixa de abelhas”.

E uns 25 anos depois, essas coisinhas surpreendem com a qualidade. :napster:



   sábado, 31 de janeiro de 2015

Indo ao “shopping center” – 8



PéssimoRuimMédioBomExcelente (15 votos, média: 4,93 de 5)

Faz tempo que eu não falo das idas ao “shopping center” né?

Então… já fazia uns 20 dias que eu não ia lá no “biohazzard”, e resolvi dar um pulo lá essa semana. Como sempre, tá no estilo biohazzard mesmo. }:D

Na futucação de praxe na caçamba onde descartam placas eletrônicas, catei algumas placas de radio-relógio e radinho de pilha pra tirar os capacitores variáveis e as bobinas de FI e mais alguma coisinha que preste e está virando raridade nos dias de hoje.

placas_sucatas

E nisso resolvi ir dar uma olhada numa pilha de televisores velhos que estava em um canto lá, e no meio olha só o que eu acho:

samsung_syncmaster_713n

É… um Samsung SyncMaster 713n, um conhecido monitor dos usuários de MSX, por funcionar a 15kHz.

O defeito original pelo visto é essa linha azul acessa constantemente. Só que de ele ficar sendo jogado de um canto pro outro por lá, ganhou um riscos na tela, e dois dele bem fundos por sinal.

Mas tirando isso, está funcionando direitinho.

Os riscos eu descobri que pode ser amenizado se você embeber um cotonete em óleo e passar no risco, e limpar depois com um papel toalha e deixa somente o óleo dentro do risco.



   segunda-feira, 24 de novembro de 2014

A placa tá suja?



PéssimoRuimMédioBomExcelente (6 votos, média: 4,67 de 5)

Lave!

casio_mx-10_1

Pena que eu vacilei e não tirei foto de como estava a sujeira por entre a carcaça e a membrana de borracha do teclado.

Só não achei o Godzilla ali, porque o resto, tinha de tudo! ECA!

E depois de lavar…

casio_mx-10_2

Pendure pra secar! :-P

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  Melhor visualizado a
1024 x 768 True color
Proudly powered by WordPress. Theme developed with WordPress Theme Generator.
E altamente gambiarrado por mim mesmo :)
Copyright © 2010 by Crash Computer. All rights reserved.