Postagens com a tag ‘Eletrônica’

   sábado, 2 de abril de 2016

Indo ao “shopping center” – 13



PéssimoRuimMédioBomExcelente (10 votos, média: 4,90 de 5)

A alguns anos atrás, cai na besteira de comprar um bebedouro de galão de 20 litros eletrônico, os que usam pastilha peltier pra refrigerar. O porque cair na besteira? Porque aquilo consome uma energia lascada pelo tanto que “refrigera”.

Na verdade aquilo (pelo menos o meu, uma tranqueira da Master Frio) só refresca a água, principalmente em dias quentes, quando mais se quer água gelada. Porque só refresca? Pastilha peltier na verdade faz troca de calor, ou seja transfere o calor de um lado pro outro. E isso é amarrado a temperatura ambiente. Se estiver quente, a troca de calor será menos eficiente, e neste caso, você tem a água em uma temperatura maior. Quando está muito calor (chegou a fazer 37ºC no verão aqui), eu tinha agua somente fresca, e não gelada… :aiaiai:

No inicio do ano, passeando pelo sucateiro topei com um bebedouro de aço inox, com a base quebrada, mas era um bebedouro a compressor. Igual a uma geladeira. Negociei o bebedouro com o dono do ferro-velho… saiu pela bagatela de R$25,00 que é o preço que eles vendem só o compressor. Arrastei a encrenca pra cá, dei um banho de cloro pra desinfetar, banho de mangueira, bucha e sabão pra limpar tudo, comprei a base que estava quebrada, duas torneiras novas, 50cm de mangueira de silicone para água e o funil separador. Gasto em peças: R$82,00

Ah… foi preciso um cabo de força novo, que foi “doação” de uma tv velha lá do biohazzard. :sarcastic:

Mas teve um detalhe que foi o que demorou pra por esse bebedouro pra funcionar… conseguir as peças! Cheguei a telefonar para umas três ou quatro autorizadas da marca que tem aqui na região… aconteceram duas coisas. Ou não trabalha mais com a marca (não é mais autorizado) ou reclama que não tem peças em estoque porque o fabricante é ruim de vender peças de reposição em pequena quantidade. Minha sorte foi que achei uma grande distribuidora de peças de refrigeração em São Paulo que tinha a base deste bebedouro em estoque. =] Foi na Absolutta.

bebedouro_natugel_mini

O resultado está ai em cima… um bebedouro a compressor, de aço inox, perfeito, pela bagatela de R$107,00. Nada mau né? 8-) Modelos similares, de inox no mercado livre, novos, custam entre R$450,00 e 700,00!!! :-o

O bom é que agora tenho água gelada de verdade, trincando de gelada, independente de estar 10ºC ou 40ºC lá fora. :-P

Bom… num outro passeio no sucateiro nesta semana, encontrei estas duas luminárias coloniais.

luminaria_colonia_1

Estão em ótimo estado, somente a preta que precisa ser lixada e receber uma pintura nova. A outra é novinha novinha. Elas serão restauradas para colocar na área lá de casa. Pois desde que fizemos a área da frente da casa no inicio do ano passado, não coloquei iluminação ainda. :tooth: (farei um post sobre a restauração logo logo)

Além das luminárias, encontrei também estas duas foto-células:

foto_celulas_valelux

Uma delas devo usar lá no cafofo pra acender uma pequena iluminação externa a leds que devo instalar. Além delas, as já tradicionais tomadas modelo antigo, que achando das boas, eu trago embora mesmo. :-o*

tomadas_antigas

Essas ai são da Bitcino, são daquelas que tem material fosforescente nas teclas, coisa que não se acha mais hoje em dia.

Além disso, peguei também um punhado de chicotes de fios finos, que são de alarme, som de carro, etc, pra aproveitar os fios cabinhos nas montagens eletrônicas de hobby.

chicotes_sucata

Luminárias, foto-células, tomadas e os chicotes, ficaram tudo em R$20,00 no sucateiro.

Uma coisa que eu e um amigo falamos… se você tiver paciência, olho vivo, e muita perspicácia, você monta uma casa só com coisas descartadas por pessoas que não dão valor as coisas, não sabem consertar ou tem dinheiro de sobra pra gastar e não consertam nada, descartam. Vide o bebedouro do inicio deste post. :coffe:

[ Ouvindo: Marcos Sabino – Reluz ]


   sábado, 21 de março de 2015

Indo ao “shopping center” – 9



PéssimoRuimMédioBomExcelente (6 votos, média: 4,83 de 5)

Mais um passeio ao “biohazzard”. Dessa vez o que saiu? Além de umas duas sucatas de rádios AM/FM como de praxe, que já foram desmontadas e retirado o que aproveita-se, curiosamente encontrei 3 punhados de resistores de 1/8W ainda na fita de papel.

 

resistores

São resistores de 10R, 39R e 470K. De quem era, e porque jogou fora, não faço a mínima idéia! As fitas de papel como estavam em muito mal estado, já retirei e joguei fora. Os resistores foram para o  gaveteiro. :tooth:

Mas na mesma andança topei com isso aqui:

Qual o defeito? O conector mini-usb simplesmente destruído, moído!

Pena que não tirei uma foto do conector como estava, mas na abaixo é o conector “novo” já instalado, o “novo” é porque saiu de uma placa de sucata.

Ah… a musica foi uma coincidência “proposital”. eheh. Explico. Na verdade eu não escolhi a música, mas quando fui fazer a foto estava tocando essa, dai esperei a palavra “chave”… A cura! Se não entendeu, eu desenho… a cura do MP3 Player foi um simples conector mini-usb. :-P

mini-usb

Agora parando pra pensar… Olha como são as coisas hoje em dia… estragou? Joga fora e compra outro! Nem pra trocar um mísero conector de prestam os “técnicos” de hoje em dia.

E o que me impressionou. A qualidade do som e o volume disso com esse tamanho minúsculo. Quando eu era moleque, um radinho de duas pilhas com o dobro do tamanho disso ai, tinha um som horrível, o que a gente chamava de “caixa de abelhas”.

E uns 25 anos depois, essas coisinhas surpreendem com a qualidade. :napster:



   sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Indo ao “shopping center” – 8



PéssimoRuimMédioBomExcelente (2 votos, média: 5,00 de 5)

E cada vez que visito o “shopping center” ou o “biohazzard” alguma coisa sempre sai!

Dei uma passada hoje por lá, no  “biohazzard” e olha o que encontrei na pilha de coisas a desmontar pra separar os recicláveis?

raquete_mata_mosquito

É… o terror dos mosquitos e pernilongos! }:D

Eu já tenho uma outra que peguei no ano passado no “shopping center”, e o defeito era ridículo, uma trilha quebrada na chave liga/desliga. Está funcionando até hoje.

Só que… de umas semanas pra cá começou uma infestação de pernilongos por aqui, que está uma coisa absurda! E em casa a coisa não está diferente. Até comentei com minha mãe que estava pensando em comprar uma raquete pra deixar lá em casa. Mas.. dai, achei essa por lá. Trouxe embora pelos módicos centavos de sempre.

Chego aqui, desmonto e qual o problema? A bateria que estava “preguiçosa”. Esse é um problema comum de baterias NiCD. Dei um “tranco” nela pra “acorda-la”, coloquei na carga e pimba! Está a todo vapor! Já fritei uns pernilongos aqui e está aprovada.

Uma destas, com bateria recarregável custa de R$25,00 a R30,00 aqui na cidade. Essa me custou menos de 1 real e ainda tive o prazer de recupera-la. Será uma sobrevida em algo que já ia pro desmantelamento total. :good:

Mas.. falando na infestação de pernilongos daqui, não está acreditando? Olha só:

pernilongos

Isso ai é o que eu resolvi ajuntar em uns 2 ou 3 dias. Mas claro que ai não está tudo, muitos dos que matei, não param na malha da raquete, esses ai foram só os que enroscaram. Devo ter matado pelo menos umas 3 vezes mais do que está ai. o_O



   sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Indo ao “shopping center” – 7



PéssimoRuimMédioBomExcelente (6 votos, média: 5,00 de 5)

Voltei hoje no meu shopping favorito, o “Biohazzard”.

Chego lá e vejo que tem um saco desse de rafia cheio de placas que o pessoal lá não tem o que fazer, pois o que pode ser reciclado eles já haviam retirado, como lata, cobre, alumínio, plástico.

Sobra mesmo só as PCB com os componentes que pra eles não tem utilidade, e literalmente LIXO!

Dai resolvi virar o saco de cabeça pra baixo no chão e olhar as plaquinhas pra ver o que tinha de interessante. E… não é que tinha? De duas plaquinhas que eu trouxe, quaaaaaase que sai um MSX 1. o:-)

Veja:

quaaaaaaase_um_msx1

O que que tem ai na foto? Eu ajudo.

Um Z80 PIO, que esse pra MSX não tem utilidade.
Uma PPI 82C55-2
Um Z80 CPU de 10MHz
Uma SRAM de 512KB
Um Z180 MPU (CPU?)
Uma SRAM de 32KB

Acha que parou ai? Claro que não. Do resto das placas que trouxe (umas 8 placas) que já desmontei e retirei praticamente tudo que se aproveita, saiu esse pote recheado de coisas legais:

sucatao_reciclado

Ai dentro tem uma infinidade de coisas… Tem até mesmo outro Z80, de 4MHz, algumas EProms de tamanhos variados, Memoria Flash, Memoria RAM, Cristais, um monte (que está no fundo) de TTL 74LS, 74HCT, 74F… Soquetes, Transistores, Conectores… e mais alguma coisa que eu esqueci.

Pra quem quer se divertir com montagens caseiras, pode economizar um bom dinheiro reaproveitando essas coisas de sucatas que infelizmente serão literalmente moídas. :tooth:



   domingo, 15 de junho de 2014

Os manuais da Ibrape.



PéssimoRuimMédioBomExcelente (13 votos, média: 4,85 de 5)

Já tem algum tempo que eu queria conseguir este manuais e graças ao Rodrigo (Voyage) consegui copias digitalizadas, e foi possível tratar todas as imagens e gerar os manuais com excelente qualidade.

Até existe o esquema de alguns destes manuais na internet, mas a qualidade estava muito ruim, com alguns componentes impossíveis de identificar o valor. Mas nestas copias tudo tudo limpo, tratado e gerado em grande resolução.

Ibrape M-110 (Voyage)

Ibrape M-150 (Marcos)

Ibrape M-201 / M-202 (Voyage)

Ibrape M-204 (Luciano)

Ibrape M-320 / M-350 (Voyage)

Se você que visita este blog, tiver mais algum manual de alguém kit da IBRAPE e quiser contribuir, basta deixar um comentário neste post. Que explico como digitalizar (os parâmetros e tamanho) e como enviar. Será dado o devido crédito se quem enviar assim o quiser.

Edit 06/06/2014: Segundo o comentário do Voyage, faltam os manuais M-1 (amplificador de 2.5W), M-101 (Amplificador de 1W) e M-150.

Quem tiver e quiser ajudar, entre em contato.

Edit 24/01/2015: Publicado o manual do M-150 (Amplificador de 50W), gentilmente digitalizado e enviado pelo Marcos E. Berretta.



   quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Um brinquedo novo.



PéssimoRuimMédioBomExcelente (13 votos, média: 4,31 de 5)

Que já estava em gestão a alguns meses (tá tá… mais de um ano) e esta devagarzinho saindo da caixa de papelão de ajuntamento de peças e virando o objetivo final. :-o*

sg5

sg4

Essencialmente é um amplificador de áudio. Dou mais detalhes do que é e pra que serve, assim que ficar pronto. Provavelmente até o final desta se não ocorrer nenhum contra-tempo. o:-)



   quinta-feira, 13 de junho de 2013

eletronica_junior-1   Este post estava engavetado desde Julho de 2011, que foi quando eu quebrei o tornozelo e fiquei de molho em casa por 40 e poucos dias. :X.:

E na falta de muito o que fazer, fui relembrar das primeiras revistas de eletrônica que comprei. E era a finada “Experiências e Brincadeiras com Eletrônica Junior”, publicada pela editora Saber Eletrônica e tendo em sua batuta o Newton C. Braga.

Mas eu não tinha a coleção completa, faltavam-me principalmente os primeiros números. Pelo que lembro eu tinha completo mesmo era a partir da número 10 em diante e abaixo disso pouquíssimos gatos pingados. E lembro-me exatamente do primeiro número que comprei… foi a 12! As (poucas) anteriores que tinha comprei na época pelo reembolso postal, coisa que eu acredito que nem exista mais. :-o*

Como quem não tem o que fazer fica inventando moda, lá fui eu a procura dos números que me faltavam no Estante Virtual, Mercado Livre, etc… Claro que aproveitei para comprar alguns números que eu já tinha, mas estavam em estado lastimável. 8|(

Assim a coisa prosseguiu. Mas faltava um maldito número, que era um dos que eu tinha, mas estava muito detonado. A número 9!

Por mais que procurei no Estante Virtual e no Mercado Livre, esse número nunca que aparecia. E na semana que passou… bingo! Apareceu um vendedor do Rio de Janeiro que tinha a única que faltava. E então… completei a coleção!

O fato desta revista ter sido publicada entre agosto de 1984 e novembro de 1987, ela apanho uma boa parte do furação que foi a economia brasileira naqueles já longínquos anos. :crazy:

Veja na lista abaixo como o preço da revista fui aumentando progressivamente mês a mês, até a entrada do plano Cruzado, onde hoje uma pequena estabilidade por alguns meses e logo em seguida a coisa desandou novamente.

Nº1 – Cr$1.200 – Ago/Set-1984
Nº2 – Cr$1.450 – Out/Nov-1984
Nº3 – Cr$1.950 – Dez-1984/Jan-1985
Nº4 – Cr$2.600 – Fev/Mar-1985
Nº5 – Cr$3.500 – Abr/Mai-1985
Nº6 – Cr$4.300 – Jun/Jul-1985
Nº7 – Cr$5.000 – Ago/Set-1985
Nº8  – Cr$6.500 – Out/Nov-1985
Nº9  – Cr$8.000 – Dez-1985/Jan-1986
Nº10 – Cz$8.00 – Fev/Mar-1986
Nº11 – Cz$8.00 – Abr/Mai-1986
Nº12 – Cz$8.00 – Jun/Jul-1986
Nº13– Cz$10.50 – Ago/Set-1986
Nº14 – Cz$16.00 – Out/Nov-1986
Nº15 – Cz$28.00 – Dez-1986/Jan-1987
Nº16 – Cz$28.00 – Fev-1987 (daqui pra frete ela passou para mensal)
Nº17 – Cz$30.00 – Mar-1987
Nº18 – Cz$33.00 – Abr-1987
Nº19 – Cz$38.00 – Mai-1987
Nº20 – Cz$48.00 – Jun-1987
Nº21 – Cz$55.00 – Jul-1987
Nº22 – Cz$75.00 – Ago-1987
Nº23 – Cz$95.00 – Set-1987
Nº24 – Cz$115.00 – Out-1987
Nº25 – Cz$145.00 – Nov-1987

Tenho planos de acabar de digitalizar as revistas, alguns números eu já digitalizei e podem se encontradas no Blog do Picco (link ai na barra lateral). Porem falta-me tempo para isso, mas em breve deve acontecer, bastando passar a tempestade, pois depois dela tem que vir a bonança, correto? Ou pelo menos, um porto seguro. :-P

eletronica_junior-2

eletronica_junior-3

eletronica_junior-4

[ Ouvindo: Talking Heads – Wild Wild Life (1986).mp3 ]


   sábado, 9 de março de 2013

Dando um “tapa” nos MaxSom



PéssimoRuimMédioBomExcelente (3 votos, média: 5,00 de 5)

Pois é… depois de uns quase uns 23 anos, dei uma aposentadoria para o meu velho MaxSom M-501, que por sinal estava em petição de miséria!

Já falei muito superficialmente dele aqui neste post. O fato é que a uns 2 meses atras eu consegui um MaxSom STM-300 por uma pechincha no mercado lixo. E ele é bem melhorzinho que o M-501.

O STM-300 ficou no “estaleiro” até ontem por causa de uma pequena “cagada” que este que vos fala vez… pifei o CI decoder de stereo dele. E foi um PORRE pra achar outro, um uA767 da Fairchild. O que estava nele foi fabricado em 1974!!! Ou seja, 39 anos! Acabei achando outro numa loja da Sta Ifigênia que costuma ser a ultima salvação na procura de componentes raros.

Só tem um “pequeno” detalhe… são careiros que doi! E morri em R$15,00 no CI.. argh! Mas pelo menos voltou a funcionar como era original de fábrica.

E olha que até pensei em meter o pé na placa decoder stereo dele e montar uma outra com algum CI mais novinho. Mas menos mal que ficou original.

Agora, o velho M-501 além de ser somente FM, ainda por cima era mono, mas lá por 1998 eu fiz um “upgrade” nele transformando-o em stereo, usando uma recorte de uma plaquinha de um velho toca-fitas paraguaio que forneceu o decoder stereo, baseado no CI AN7420.

E não lembro ao certo o porque removi o amplificador de áudio dele, transformando-o em apenas receiver. Isso não importa porque eu o usava conectado a um amplificador maior.

Mas… como tudo naquela época de lambanças, a coisa estava numa gambiarra só! Uma pena que eu não tive a idéia de tirar fotos dele como estava, com a lambança toda.

maxsom_m-501_a

Agora, depois de um boa limpeza e catada nas gambiarras, restaurada a fonte de alimentação, mais ou menos como é a original, acomodado o decoder de stereo de uma forma decente, vou fazer um novo amplificador de áudio pra ele, mas com coisa moderna (o amplificador original, além de mono era transistorizado e beeeeeem safado) usando um CI “quase” Hi-Fi. O bom e velho TDA2009.

E vai fica bocudinho ehehe, serão 10+10W agora.

maxsom_m-501_b

E por fim ainda quero botar outra perfumaria nele, um medidor de nível de sinal recebido. Vou fazer um bargraph com um LB1423.

Uma curiosidade destes receptores fabricados em Campinas na década de 1970 e 1980, é o uso de kits de montagem, coisa bastante comum na época. Eles usam módulos da saudosa Unitac, também campineira!

 

Edit: O projeto do amplificador com o TDA2009 foi publicado aqui (clica ai).



   sábado, 1 de dezembro de 2012

Indo ao “shopping”



PéssimoRuimMédioBomExcelente (3 votos, média: 5,00 de 5)

E nos meus passeios no “shopping” olha o que eu achei nas “prateleiras” :D :

Sim, elas já estão começando a aparecer na sucata! Claro que eu não sou bobo, eu pego, trago pra cá, desmonto, limpo e reviso. E fica a disposição no meu estoque. o:-)

A única coisa que não vale grande coisa é aquele bejamim ali da direita, mas… vamos guardar né?

Mas a colheita não para por ai… teve mais coisas.

Achei também duas plaquinhas de fontes chaveadas. A primeira delas, estava com um zener de proteção em curto, foi removê-lo e pimba! Funcionando! Ela era de 5V, mas eu a converti para 12V.

Já a segunda não tinha defeito nenhum! Foi limpar a sujeita, refazer algumas soldas suspeitas e funcionado também! Essa também é de 5V mas não vou mexer. Essa segunda é interessante porque é fabricada pela Astec, uma fonte de qualidade!

Devo utilizá-la em um projeto futuro que precisarei de 5V, pois não coube um 7805 na placa. :sarcastic:

Tenho uma ou duas fontes de PC dessa marca, e são excelentes! Também são fontes recuperadas de sucata. }:D



   terça-feira, 29 de maio de 2012

Pílulas de Nanicolina?



PéssimoRuimMédioBomExcelente (4 votos, média: 4,75 de 5)

Pra quem não entendeu a piada do título, leia aqui. :-o*

Essa é a “pequena” diferença de um capacitor eletrolítico de 4.7uF x 63V fabricado em Julho de 1986 (o date code está logo abaixo do indústria brasileira) com um moderno capacitor de 4.7uF x 50V fabricado em 2010. :-P

Pergunta: Quantos eletrolíticos modernos dá pra fazer com o material do antigo? :sarcastic:

[ Ouvindo: Blondie – Atomic (1980) ]
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


  Melhor visualizado a
1024 x 768 True color
Proudly powered by WordPress. Theme developed with WordPress Theme Generator.
E altamente gambiarrado por mim mesmo :)
Copyright © 2010 by Crash Computer. All rights reserved.